quinta-feira, 19 de julho de 2018

Um lugar chamado aqui de Cecelia Ahern

Opinião:
Um começo dificil e pensei que não fosse gostar, mas mesmo assim insisti e ainda bem, pois gostei bastante dele.
Não achei um livro com logica, mas gostei imenso da história.
Para mim o não ter logica foi: haver um lugar para onde as pessoas e objectos desaparecidos vão.
Percebo que é uma história e que tem fantasia, mas o meu lado lógico nunca imaginou uma coisa destas.
Em relação a história achei que estava muito gira e bem construida, adorei a Sandy e a maneira como ela vê o mundo.
Adorei o mundo paralelo ao nosso e a maneira de se viver lá, mas o meu lado racional ficou com alguns problemas em relação a esta história.
Neste caso perguntas como: porque é que as pessoas simplesmente desaparecem?
Se vão para o mundo das coisas desaparecidas, porque que é que não podem voltar?
Um livro que simplesmente me fez pensar em coisas, que nunca imaginei, mais uma vez gostei imenso de ler um livro desta autora.
Sinopse:
Depois do bestseller internacional P.S. Eu Amo-te com 40.000 cópias vendidas só em Portugal que deu origem ao filme homónimo, a célebre Cecelia Ahern regressa com um conto ambicioso, absorvente e romântico sobre coisas e pessoas perdidas. Cecelia impôs-se no meio literário principalmente pelo seu talento e não somente pela ligação familiar que muito embora lhe tenha aberto algumas portas não se constituiu em si mesmo como a chave para o sucesso. Cecelia, filha do primeiro-ministro irlandês, confessa que gosta de escrever sobre acontecimentos que irão ajudar as pessoas e que «a infelicidade e a luta fazem as pessoas olhar à volta. Procurar e não desistir, dá-nos esperança». E é precisamente imbuídos de esperança que os protagonistas deste belo conto de fadas para adultos desenvolvem o seu percurso. Sandy, a protagonista, tornou-se obsessiva desde que uma colega de turma desapareceu há vinte anos. Desde então tenta encontrar pessoas que desaparecem, restituindo-lhes alguma esperança. Jack Rutle é uma dessas pessoas desesperadas e procura Sandy para ela o ajudar a encontrar o rasto do irmão. Porém, um dia é a própria Sally que desaparece…O quarto livro de uma autora que está a dar cartas na cena internacional.

quarta-feira, 18 de julho de 2018

A Escolha de Kristin Hannah

Opinião:
Apesar de ter sido uma história bonita, não foi das melhores que li desta autora.
Achei que foi um livro com uma história de amor básica, mas de fácil leitura e até despertou a minha curiosidade.
É normal que todos os casamentos tenham algumas dificuldades após tantos anos e Elizabeth e Jackson não são excepção.
Ela deixou de viver a vida para acompanhar o marido e criar as filhas, ele quase a atingir o estrelato acaba por não conseguir, por isso o seu sonho é voltar a ser uma estrela.
Gostei do livro por inteiro, a luta de Elizabeth para voltar a se encontrar e Jackson para concretizar o seu sonho.
Mas esperava mais desta autora...

Sinopse:
Elizabeth e Jackson casaram-se muito jovens. Agora, aos 46 anos e ao fim de 24 anos de dedicação ao marido e às duas filhas, entretanto crescidas, Elizabeth sente que lhe falta algo na vida, e a sensação de vazio agrava-se quando Jackson recebe uma proposta de trabalho irrecusável que o levará de regresso ao estrelato. Elizabeth está cansada de viver à sombra do marido e quer tomar as rédeas da sua própria vida antes que seja tarde. O terrível e inesperado golpe que recebe quando o seu pai morre de repente fá-la tomar uma decisão. Mas terá feito a escolha certa?

terça-feira, 17 de julho de 2018

O Castelo de Vidro de Jeannette Walls

Opinião:
Leitura conjunta do mês de Julho e este livro mexe com qualquer pessoa que tenha sentimentos.
Uma história sobre uma família com quatro crianças e maneira como os seus pais vivem e as educam.
Quando temos pais disfuncionais a nossa vida parece uma montanha russa, tanto estamos lá em cima, como estamos cá em baixo.
Apesar de toda união que há entre eles, também há uma distância que com o crescimento das crianças se vai notando cada vez mais.
Livro pesado por ser com crianças e bastante sentimental para mim, mas excelente pois a leitura torna-se compulsiva.
Não é um livro para todos, tem bastantes partes dificíeis de ler e de digerir.

Sinopse:
O Castelo de Vidro é a história extraordinária de uma família profundamente disfuncional e tremendamente vibrante. 
São uma família nómada. Vivem aqui e ali e sobrevivem como podem. 
É uma história cheia de amor de uma família que se ama, mas que também se abandona, que é leal e dececionante ao mesmo tempo.
É uma daquelas leituras que nos mudam para sempre.

999 + 1 Piadas ainda mais secas de Pedro Pinto/Gonçalo Castro/João Ramalhinho

Opinião:
Não resisti a comprar o segundo volume das piadas secas para o marido, mas como viciada tive de o ler primeiro.
Posso dizer que mais uma vez adorei este tipo de livro, embora tenha de voltar a ler certas piadas para as perceber, de tão secas que são.
Um livro super giro por dentro, não enjoa, as piadas tem diversos tamanhos e feitios, algumas ilustrações.
E como diz na capa... tentem lá não rir... para mim isso foi impossível.
Da minha parte podem continuar assim, que eu vou continuar a devorar os vossos livros.

Sinopse:
Estão dois queijos ao sol, vira-se um:
— Acho que estou a derreter...
— E eu ralado!
Porque é que o garfo foi ao dentista?
— Porque partiu um dente.
Vira-se um ovo para o outro:
— Sabias que um dia vamos ser pintos?
— Estou chocado!
— Amor temos de falar... Só sabes falar de carros e já não és romântico comigo!
— Que queres que te diga?
— Diz-me algo com amor...
— Amortecedor.
Depois de porem milhares de portugueses a rir, e a pedido de muitas famílias que já não aguentavam ouvir as mesmas 500 tentativas de ter graça, os autores do bestseller O Caderno das Piadas Secasvoltam à carga com 999+1 Piadas AINDA Mais Secas.
O dobro das piadas, mas metade da graça… Porque para bom entendedor, meia palavra bas.

domingo, 15 de julho de 2018

A Noiva do Marquês de Tessa Dare


Opinião:
Mais uma vez esta escritora não me desiludiu, escreve de uma forma simples e viciante.
Por um lado temos uma jovem na tentativa de ser independente numa época em que tal era praticamente impossível, por outro, temos um homem que vive no limite e quer tudo menos estar perto desta donzela.
Tal como já acontecera no passado, a história prendeu me do início ao fim e não consegui largar este livro.
Com a história perdi a cabeça com tanto toca e foge da Clio e do Rafe, sucumbi à particularidade da pequena Phoebe e ri com o lado cómico de Bruiser.
Uma narrativa arrebatadora e um romance proibido e viciante.

Sinopse:
Ela tinha tudo o que uma donzela da sua posição podia querer: era linda e estava noiva do solteiro mais cobiçado da cidade. Um longo e desesperante noivado, porém, levou-a a querer romper o compromisso e a tomar as rédeas da sua vida.
Clio Whitmore está noiva do Marquês de Granville há oito anos, mas ele está sempre ausente no estrangeiro, levando-a ao desespero por não se sentir desejada. Quando Clio herda um castelo que lhe proporciona independência financeira, decide romper o noivado e iniciar uma nova vida. Para tal, ela terá de convencer Rafe, irmão e procurador do Marquês, a aceitar o fim do noivado. Mas Rafe tem planos para a fazer mudar de ideias, organizando-lhe um casamento de sonho...
Ele começa com flores. Um casamento nunca tem flores suficientes... Ele diz-lhe que ela dará uma belíssima noiva… e tenta não imaginá-la como sua.
Como conseguirá Rafe convencer Clio a casar-se sem se deixar vencer pelos sentimentos que crescem dentro dele, e que são a cada dia mais fortes?
Ele não irá apaixonar-se pela única mulher que nunca poderá beijar nem dizer ser sua. Ou irá?

Um Amor Para Sempre de Nora Roberts

Opinião:
Já andava com saudades de um ler um romance da Harlequim da Nora Roberts, mas demorei a terminar de ler, ponho-me a ler e esqueço-me dos físicos. Shame on Me. Desde que comprei o Kobo tornei-me viciada em ler por lá, porque a vista não cansa como se fosse a ler no tablet e posso sempre levar montes de livros e que também não pesa tanto, mas estou a fazer publicidade. Voltando ao livro, ele (Blake) podre de rico e pretende uma chefe no seu Hotel, ela (Summer) chefe e que é mundialmente famosa e especializada em pastelaria. Ambos chocam logo no primeiro dia, ela odeia-o e acha-o presunçoso e ele porque não resiste a um bom desafio. Adoro estas mini-histórias da Nora Roberts.

Sinopse: 
Summer Lyndon, uma chefe mundialmente famosa, especializada em pastelaria, encontrava-se no auge da sua carreira quando recebeu uma oferta muito interessante do magnata hoteleiro Blake Cocharan, para gerir o restaurante de um luxuoso hotel de Filadélfia. Não havia nenhuma razão para que Summer aceitasse um cliente tão presunçoso e arrogante como Blake, mas Blake era um desafio e Summer nunca virava as costas a um desafio. Contudo, à medida que ia confraternizando com o seu irresistível chefe, Summer via posta à prova a sua lendária força de vontade.

De Joelhos de Malenka Ramos

Opinião:
Começo por dizer que achei este livro mais agressivo do que o Grey. (Grey volta estás perdoado). Começamos por um stalking, Dominc sempre gostou de Samara, mas ela não estava interessada nele, embora ele não a tenha esquecido durante os anos que passaram, quer trazê-la para a sua vida e fazê-la dele. Dá-lhe a conhecer a Herdade da Quimera em que vale tudo, ou melhor não há regras, o mais rápido começa-se por se aperceber que o certo e o errado andam sempre juntos, mas será que aguenta na relação entre Dominc e Samara? Quero ler a continuação, mas não será um dos livros que mais gostei, pode ser que nos próximos volumes mude de opinião, ou não.

Sinopse:
Dominic Romano é um advogado de prestígio, poderoso e seguro de si. Apesar de possuir tudo o que quer, nunca conseguiu esquecer Samara, a jovem que se ria dele na escola. Ela é a sua razão de viver, ama-a com a mesma intensidade que a odeia e não duvida um só momento de que ela tem de pagar por todo o sofrimento que lhe provocou.   Junto a ele, Samara conhecerá uma vida fora da realidade, onde o amor, a dor, o sexo e a paixão se transformam num torvelinho que a transportará para um mundo onde o correcto e o amoral se confundem.   Mas Dominic não está sozinho: a Herdade da Quimera converte-se num segundo lar para ele e para uma «família» muito pouco convencional. Ali não existem regras morais, nem limites, nem o medo do que as pessoas possam pensar. Nada está proibido no palácio do delírio e nada acontece sem uma razão…   Duro, polémico e cruel, De Joelhos é um romance passional e cheio de sentimentos, que roça o proibido. Depois de o ler equacionará sobre o que está realmente correcto.