segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Pecados Santos de Nuno Nepomuceno

Opinião:
Começo já por dizer que é um excelente livro, apesar de não ser o meu género de livro.
Foi um livro que li em dois dias, o que é excelente para mim, adorei a pequena piada que existe no livro sobre o nome do autor e sobre o primeiro livro que ele escreveu.
Gostei imenso da história que dá várias reviravoltas, que não esperava e que nos prende ao livro.
Para mim só tem um "defeito"... é muito descritivo, o que não é mau e até está excelente para quem quer perceber um bocado sobre outras culturas/religiões, mas como disse não é o meu género de livro por este motivo. Por isso nem posso dizer que é um defeito, tem apenas a ver com o gostar ou não deste estilo de livros.

Sinopse:
Nas comunidades judaicas de Londres e Lisboa, ocorre uma série de homicídios, todos eles recriando episódios bíblicos. Atos bárbaros de antissemitismo ou de pura vingança? Um rabino é encontrado morto numa das mais famosas sinagogas de Londres. O corpo, disposto como num quadro renascentista, representa o sacrifício do filho de Abraão, patriarca do povo judeu. O caso parece ficar encerrado quando um jovem professor universitário a lecionar numa das faculdades da cidade é acusado do homicídio. Descendente de portugueses, existem provas irrefutáveis contra si e nada poderá salvá-lo da vida na prisão.
Mas é então que ocorrem outros crimes, recriando episódios bíblicos em circunstâncias cada vez mais macabras. E as dúvidas instalam-se. Estarão ou não estes acontecimentos relacionados? Poderá o docente vir a ser injustamente condenado? Porque insistirá a sua família em pedir ajuda a um antigo professor, ele próprio ainda em conflito com os seus próprios pecados? As autoridades contratam uma jovem profiler criminal para as ajudar a descobrir a verdade. Mas conseguirá esta mente brilhante ultrapassar o facto de também ela ter sido uma vítima no passado? Abordando temas fraturantes da sociedade contemporânea como o antissemitismo e o conflito israelo-árabe, e inspirando-se nos Dez Mandamentos e noutros episódios marcantes do Antigo Testamento, Pecados Santos guia-nos através das ruas históricas de Londres, Lisboa e Jerusalém, numa viagem intimista e chocante sobre o que de mais negro e vil tem a condição humana.

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Entre Irmãs de Kristin Hannah

Opinião:
Quando comecei a ler este livro achei que não ia gostar, parei a perto da página 100 e fui ler outro, achei que estava bastante aborrecido.
Depois decidi que tinha de tentar ler outra vez e ainda bem que o fim, pois é um livro muito bom, envolvente e super emocionante.
O princípio para mim é aborrecido, mas depois adorei e não consegui deixar de o ler e de pensar nele.
Adivinhei logo no princípio quem seria o par para Meghann, mas nunca adivinhei todo o desenrolar desta história.
Por isso se começarem a ler e acharem (como eu) o livro aborrecido, não desistam, pois o livro vale o esforço das primeiras páginas.

Sinopse:
Há anos, Meghann Dontess fez uma escolha terrível que lhe custou tudo, incluindo o amor da irmã, Claire. Agora Meghann é uma advogada de sucesso que não acredita no amor… até encontrar o único homem que a pode fazer mudar de ideias. Claire Cavenaugh apaixonou-se pela primeira vez na vida. À medida que a data do casamento se aproxima, ela prepara-se para enfrentar a obstinada irmã. Reencontram-se depois de mais de duas décadas afastadas e estas duas mulheres que parecem não ter nada em comum vão tentar finalmente ser uma família. Um livro terno e comovente, que explora as alegrias e tristezas partilhadas pelas irmãs, os erros cometidos em nome do amor e a promessa de salvação.

Prestes a Sair: Perdido e Achado de Stephen King

Prestes a Sair: 09-03-2018
Editora: Bertrand Editora
Sinopse:

1978:
Morris Bellamy está tão obcecado por John Rothstein, um icónico autor norte-americano, que era capaz de matar para conseguir um livro inédito do escritor. 
2009:
Pete Saubers, um rapaz cujo pai foi brutalmente ferido por um Mercedes roubado, descobre uma mala cheia de dinheiro e os cadernos de Rothstein.
2014:
Depois de trinta e cinco anos na prisão, Morris sai em liberdade condicional. E está determinado a recuperar o seu tesouro.
Cabe agora a Bill Hodges, detetive reformado que gere uma empresa de investigação chamada Finders Keepers, salvar Pete de um Morris cada vez mais desvairado e com sede de vingança...

Prestes a Sair: Testemunho de Scott Turow

Prestes a Sair: 09-03-2018
Editora: Bertrand Editora
Sinopse:

Bill Boom virou as costas a tudo o que era importante para si: a carreira, a mulher, até o seu país. Mesmo assim, quando lhe pedem que examine o desaparecimento de um campo inteiro de refugiados do Kosovo, um caso por resolver há dez anos, sente-se arrastado para o caso mais difícil da sua carreira. Para descobrir o que aconteceu durante o caos apocalíptico que se seguiu à guerra da Bósnia, Boom investiga uma panóplia de suspeitos, que vai dos paramilitares sérvios a redes de crime organizado e ao governo norte-americano, enquanto se movimenta também por entre as coloridas personagens desta história, com as suas alianças e traições: Layton Merriwell, general norte-americano caído em desgraça; Ferko Rincic, o único sobrevivente do massacre, e Esma Czarni, uma sedutora advogada.

Prestes a Sair: Lobos Que Foram Homens de Ricardo S. Amorim

Prestes a Sair: 02-03-2018
Editora: Saída de Emergência
Sinopse:

Um retrato essencial para compreender o fenómeno Moonspell.
Com mais de vinte e cinco anos de carreira, os Moonspell são a banda portuguesa mais internacional de sempre, e toda a sua história é agora contada pela primeira vez. Mais do que uma simples biografia de banda, Lobos Que Foram Homens é o dissecar de uma carreira feita de riscos e conquistas, e em que se revelam factos até aqui inteiramente desconhecidos do público.
Com depoimentos de todos os seus actuais e antigos elementos, bem como de diversos colaboradores e membros de outras bandas de referência, esta é uma história contada sem filtros, com todos os ossos à mostra. Acedendo ao círculo íntimo dos Moonspell, o autor explora os seus sucessos e tribulações, mas com o foco direccionado para o lado pessoal e humano das suas relações, que nem sempre foram fáceis, tornando Lobos Que Foram Homens num retrato essencial para compreender o fenómeno Moonspell.

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Rendição de Linete Landim

Opinião:
Gostei imenso deste livro, foi lido num instante e com vontade de mais.
Adoro a maneira como esta autora escreve e as personagens que ela inventa, toda a história está muito boa.
Dei por mim a pensar e a querer saber como é que uma jovem sonhadora como Eva ia lidar com alguém como Alberto que não é o que aparenta.
Ainda me ri bastante com a maneira como eles interagem e como acabam por se surpreender um ao outro.
Já li a primeira trilogia desta autora e fiquei super apaixonada, esta também estou a adorar embora de maneira diferente, acho mais divertida e menos intensa.

Sinopse:
Três irmãos, o mesmo sangue, o mesmo apetite voraz | Ao enviuvar, Alberto Soares de Mello, lorde Marçal, depara-se com um problema: enquanto não voltar a casar, será sempre olhado como um bom partido. Mas ele não tem intenções de colocar mais aliança nenhuma no dedo de uma mulher.
Ele esconde um segredo. Um segredo privado, íntimo. As moças julgam-no afável, meigo... Como se enganam! Podem procurar, não encontrarão um único osso bondoso no seu corpo. O que o move é algo negro, doentio, faminto!
Porém, a vida que o anima é demasiado poderosa para permitir ser desperdiçada e o destino atira-lhe, literalmente, para os braços uma jovem encantada pelo cavalheiro amável que o lorde aparenta ser nas ocasiões sociais.
Decidido a nunca mais se submeter à máscara da polidez, Alberto revela-se à jovem, expondo o desejo negro e cru que lhe consome a alma.
Estará Eva preparada para aceitar a verdadeira natureza de Alberto?

Prestes a Sair: Uma Questão Pessoal de Lee Child

Prestes a Sair: 09-03-2018
Editora: Bertrand Editora
Sinopse:

Podemos deixar o exército, mas o exército nunca nos deixa. Pelo menos, para sempre. Pelo menos, completamente. Observa Jack Reacher. E efetivamente o militar é arrastado de novo para serviço. Desta vez, para Departamento de Estado e a CIA. O presidente francês foi alvejado em Paris. A bala era americana. A distância entre o atirador e o alvo era extraordinária. Quantos atiradores podem disparar a mais de um quilómetro de distância com total confiança? Muito poucos, mas John Kott, um atirador americano que descarrilou, é um deles. E depois de quinze anos na prisão, está em liberdade e atento a uma reunião dos G8, tentadora para qualquer assassino. Se existe alguém que consegue deter Kott, esse alguém é o homem que já anteriormente o venceu: Reacher. E embora preferisse trabalhar sozinho, Reacher é destacado com Casey Nice, uma analista viciada em Zoloft. Mas enfrentam um caminho sinuoso, cheio de mafiosos implacáveis e criminosos sérvios, e estão por sua conta e risco caso sejam apanhados. Durante todo esse tempo, Reacher não consegue parar de pensar na mulher que em tempos não conseguiu salvar. Mas não vai permitir que isso se repita. Desta vez, não. Reacher nunca se aproxima demais. Mas há agora um assassino que tornou a questão pessoal.